Portal Bahia Extremosul - Central de Notícias

publicado em 06/06/2019 às 17h39min

Bolsonaro aprova lei de internação involuntária de dependente químico

Texto publicado no Diário Oficial da União determina que internação sem consentimento depende de aval de médico.
compartilha nas redes sociais:
Juliana Moraes

Bolsonarro sanciona lei de internação involuntária - Marcelo Camargo/Agência Brasil 

O presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei que autoriza a internação sem consentimento de dependentes químicos. A medida, aprovada pelo Congresso, foi sancionada nesta quarta-feira (5) e publicada nesta quinta-feira (6) no DOU (Diário Oficial da União). 

De acordo com a nova lei, a internação involuntária será realizada após a constatação de “motivos que justifiquem a medida”. Para isso, o pedido de internação sem o consentimento do dependente deve ser feito pelo “familiar ou do responsável legal ou, na absoluta falta deste, de servidor público da área de saúde, da assistência social ou dos órgãos públicos integrantes do Sisnad, com exceção de servidores da área de segurança pública.”

Ainda de acordo com o texto, a internação voluntária “deve ser realizada após a formalização da decisão por médico responsável” e “perdurará apenas pelo tempo necessário à desintoxicação, no prazo máximo de 90 (noventa) dias, tendo seu término determinado pelo médico responsável.”

A lei aprovada por Bolsonaro ainda estabelece que a “internação de dependentes de drogas somente será realizada em unidades de saúde ou hospitais gerais, dotados de equipes multidisciplinares e deverá ser obrigatoriamente autorizada por médico devidamente registrado no Conselho Regional de Medicina - CRM do Estado onde se localize o estabelecimento no qual se dará a internação.”

O texto também diz que o término da internção depende do médico responsável pelo caso ou por meio de “solicitação escrita da pessoa que deseja interromper o tratamento.”

Com isso, a família ou o representante legal pode pedir ao médico, a qualquer momento, a interrupção do tratamento.

A lei sancionada também diz que a internação involuntária depende de avaliação sobre o tipo de droga usada  e deve ser indicada “na hipótese comprovada da impossibilidade de utilização de outras alternativas terapêuticas previstas na rede de atenção à saúde.”

O texto determina também que tanto a internação involuntária quanto a internação voluntária devem ser indicadas quando “os recursos extra-hospitalares se mostrarem insuficientes.”

Lei aprovada Internação involuntária Dependente químico

Comentários

Para comentar esta notícia é necessário entrar com seu login no FACEBOOK.
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também CATEGORIA GERAL

O Encontro de Cordas do ICED está de volta a Teixeira de Freitas

O Encontro de Cordas do ICED está de volta a Teixeira de Freitas

Homem é morto a facadas em Itamaraju

Homem é morto a facadas em Itamaraju

Vereador e filho são mortos a tiros dentro de casa

Vereador e filho são mortos a tiros dentro de casa

Ibirapuã vai receber Carreta do Programa de Rastreamento do Câncer de Mama

Ibirapuã vai receber Carreta do Programa de Rastreamento do Câncer de Mama

Últimas publicações