Portal Bahia Extremosul - Central de Notícias

publicado em 17/04/2018 às 17h38min

Mad Max pode acabar por causa de processo judicial

George Miller, criador da saga do guerreiro australiano, e a Warner Bros. estão em pé de guerra.
compartilha nas redes sociais:
Renato Furtado

George Miller surpreendeu todo o mundo em 2015 quando lançou um clássico instantâneo do cinema de ação e aventura:Mad Max: Estrada da Fúria . Sequência/reboot da trilogia original estrelada por Mel Gibson, o quarto filme da franquia trouxe Tom Hardy no papel principal, uma Charlize Theron inigualável como a fenomenal Imperatriz Furiosa e cenas de ação insanamente belas para conquistar um lugar cativo na história da sétima arte. Mas apesar de toda a aclamação e o sucesso de Estrada da Fúria, a recém-renascida saga pode não retornar às telonas por causa de um processo judicial envolvendo Miller e a Warner Bros., distribuidora da obra (via Indiewire ).

Foto: AdoroCinema 

De acordo com a ação movida por Miller em um tribunal da Austrália no último mês de novembro, o estúdio teria agido de má fé e de "maneira insultante" ao não pagar o bônus acordado contratualmente caso o cineasta e sua companhia de produção, a Kennedy Miller Mitchell, entregassem Estrada da Fúria abaixo do orçamento estipulado. Segundo o realizador , Mad Max 4 custou US$ 154,6 milhões - o teto seria de US$ 157 milhões. A Warner, portanto, deveria pagar US$ 9 milhões em bonificações para a Kennedy Miller Mitchell por causa do êxito de produção; no entanto, a companhia hollywoodiana, que não pagou nenhuma verba de gratificação, mantém seu posicionamento de que Miller finalizou sua obra-prima por uma cifra muito maior da que havia sido firmada no contrato: US$ 185,1 milhões. 

A produtora, por sua vez, contra-atacou. Combatendo o processo iniciado por Miller, a Warner moveu uma ação que clama que o diretor e sua companhia quebraram o contrato ao não cumprir o acordo de lançar Estrada da Fúria como um longa de até 1h40 de duração e proibido apenas para menores de 14 anos. O que aconteceu na realidade foi que Estrada da Fúria chegou às telonas com 2h de duração e uma classificação indicativa restritiva para maiores de 18 anos. Por outro lado, a Kennedy Miller Mitchell afirma que a Warner atrapalhou as filmagens, tentando obrigar o realizador a não filmar certas sequências e a refazer parte do que já havia sido gravado - o orçamento das refilmagens de US$ 31 milhões, aliás, também é um objeto direto de disputa, uma vez que a produtora de Miller declarando que a Warner concordou em não incluir os custos no orçamento geral e o estúdio afirmando o contrário.

Assim, caso a disputa nos tribunais - que pode ser arrastar indefinidamente - não for resolvida, a franquia Mad Max corre o risco de não voltar a ver a luz do dia, mesmo contando com os fatos de que Estrada da Fúria levou 6 Oscar de 10 para casa e mais de US$ 378 milhões para os cofres da Warner. Portanto, além de ser uma perda inestimável de um ponto de vista artístico, uma vez que os roteiros de Mad Max 5 eMad Max 6 já estão prontos, prevendo a volta de Hardy e Theron, não dar prosseguimento à franquia de Miller também seria um tiro no próprio pé dado pela Warner em termos financeiros. Resta aguardar para descobrir o desenrolar da novela - e torcer, é claro, para um desfecho positivo.

Cinema Filme

Veja também ENTRETENIMENTO GERAL

Primeiro maniveiro do PAT/Mandiocultura é implantado em Teixeira de Freitas

Primeiro maniveiro do PAT/Mandiocultura é implantado em Teixeira de Freitas

CURTAS E PICANTES (94)

CURTAS E PICANTES (94)

“Netinho São Leão” é executado à machadadas no interior de Itanhém

“Netinho São Leão” é executado à machadadas no interior de Itanhém

Prefeitura de Caravelas entrega vários kits esportivos para atletas de várias modalidades esportivas

Prefeitura de Caravelas entrega vários kits esportivos para atletas de várias modalidades esportivas

Últimas publicações