Portal Bahia Extremosul - Central de Notícias

publicado em 05/07/2018 às 11h58min

Autônomo que estuprou a filha por 11 anos fez vasectomia para não engravidá-la

Para obrigar a vítima a manter silêncio, o pai ameaçava matar os outros três filhos mais novos
compartilha nas redes sociais:
Fernanda Silva com informações do Gazetaonline

Autônomo de 61 anos, preso suspeito de estuprar a filha, em Vitória – Foto: Mayra Bandeira

O autônomo de 61 anos foi preso na manhã desta quarta-feira, 04 de julho, em casa, em um bairro da grande Vitória. Após 11 anos de violações e agreções, a jovem de 18 anos, venceu o meu e denunciou o pai pelas violências sexuais que havia sofrido dentro da própria casa.

Os estupros começaram quando a jovem tinha apenas 5 anos de idade e duraram até ela completar 16.

Em depoimento à polícia a jovem disse que desde a morte da mãe, com 11 anos, o pai a obrigou a dormir no quarto do casal com ele, que chegou a fazer vasectomia para não correr o risco de engravidá-la.

O pai ameaçava a jovem a manter silencio, alegando que faria o mesmo com seus irmãos de 10, 13 e 17 anos, caso ela contasse para alguém. “Ele dizia que se ela contasse para alguém o que acontecia, ia fazer o mesmo com os irmãos dela, ou até mesmo mataria as crianças”, explica Lorenzo Pazolini, Delegado da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA).

A vítima, que não é filha biológica do suspeito, procurou a polícia no dia 5 de maio deste ano, após tentar o suicídio. A jovem foi socorrida por uma vizinha e levada para o pronto Atendimento de São Pedro, onde recebeu atendimento médico e psicossocial, e foi orientada a denunciar a violência.

De acordo com o delegado, a mãe da jovem já estava gravida dela quando conheceu o suspeito. Os dois se casaram e ele registrou a menina em seu nome. “Ele justificava a violência dizendo que como a menina não era filha dele de sangue, poderia fazer o que fazia”, diz Lorenzo.

Além dos estupros, a vitima também era proibida de sair e tinha a vida controlada pelo suspeito. A jovem era proibida de falar com as pessoas. Quando ele via alguém se aproximar da filha na rua, a agredia ou cometia violência sexual como forma de puni-la.

Antes de denunciar os estupros, a vitima chegou a fugir e ir para casa de parentes. Porém, quando o suspeito descobriu onde a filha estava, foi atrás e a obrigou voltar. “Hoje , ela mora com uma amiga da igreja”, diz Lorenzo.

Marcas

Não bastasse a dor da violência, os anos de violação resultaram em traumas psicológicos que marcaram profundamente a jovem. “Ela começou a se automutilar e chegou ao extremo de tentar tirar a própria vida. A violência que essa menina sofreu é aterrorizante”, analisa Lorenzo.

Em entrevista o acusado também negou. “Jamais fiz isso, sempre a tratei com muito carinho. Só não deixava ela namorar, queria que ela estudasse. Ela inventou essa monstruosidade”.

Vitória Estupro Pai Filha

Veja também POLíCIA GERAL

Mega-Sena sorteia hoje prêmio de R$ 22 milhões

Mega-Sena sorteia hoje prêmio de R$ 22 milhões

MP lança aplicativo para mapear casos de racismo na Bahia

MP lança aplicativo para mapear casos de racismo na Bahia

Com país dividido, brasileiros vão às urnas escolher futuro presidente

Com país dividido, brasileiros vão às urnas escolher futuro presidente

1ª Feira Cultural promoveu interação entre escolas da rede pública de Alcobaça

1ª Feira Cultural promoveu interação entre escolas da rede pública de Alcobaça

Últimas publicações