Portal Bahia Extremosul - Central de Notícias

publicado em 01/08/2018 às 19h18min

8 de agosto - Dia Nacional de Combate ao Colesterol

Pesquisa revelou desconhecimento da população sobre o tema, que é um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de infarto e derrame
compartilha nas redes sociais:
Taynara Duarte


Cardiologista da BP - A Beneficência Portuguesa de São Paulo faz o alerta: pessoas magras, ativas e com alimentação saudável também podem ter colesterol alto

 Pesquisa revelou desconhecimento da população sobre o tema, que é um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de infarto e derrame

São Paulo, 30 de julho de 2018 - Apesar de 72% dos brasileiros considerarem que é prejudicial à saúde ter um alto índice de colesterol, 40% deles não sabem ou não lembram a diferença entre colesterol bom ou ruim. Foi isso que revelou uma pesquisa realizada pela BP - A Beneficência Portuguesa de São Paulo, um dos mais expressivos polos de saúde da América Latina, com 600 pessoas das 5 regiões do País.

Para Marcelo Ferraz Sampaio, cardiologista da BP e orientador da pesquisa, os resultados preocupam, pois, além de revelarem um conhecimento apenas parcial sobre o tema, dificultam a prevenção e o tratamento de doenças relacionadas ao colesterol, como o infarto.

"A maior parte das pessoas acredita que a causa do colesterol alto é a má alimentação. Isso é um ledo engano. Apenas 30% do colesterol vem da alimentação e os outros 70% são produzidos pelo próprio organismo. Portanto, pessoas com alimentação saudável, magras e ativas também podem ter o colesterol elevado devido a um fator genético", alerta o cardiologista.

Prevenção é o melhor caminho

O colesterol é um tipo de gordura responsável por absorver as vitaminas A, D, E, K e lipídios e também por sintetizar os hormônios sexuais e da digestão.

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Clínica Médica (SBCM), cerca de 50% dos ataques cardíacos poderiam ser evitados se houvesse controle dos níveis de colesterol no organismo, especialmente o do LDL, que é o mais preocupante para a saúde. Popularmente conhecido por colesterol "ruim", o acúmulo de LDL nas paredes das artérias prejudica o fluxo de sangue para o cérebro e coração.

Entretanto, conforme mostrou a pesquisa realizada pela BP, apenas 30% dos entrevistados souberam diferenciar colesterol bom e ruim e apenas 6% mencionaram os tipos HDL, LDL e VLDL.

Outros fatores que não estão muito claros para a população referem-se às causas e à prevenção de altos índices de colesterol.

A má alimentação e ingestão excessiva de gorduras são consideradas por 63% dos entrevistados como os grandes vilões para alteração dos níveis de colesterol. Apenas 20% atribuem o problema ao sedentarismo, 9% assumiram não saber e outros 8% estão divididos em diversas causas, entre elas o tabagismo, estresse, obesidade e doenças do coração.

Sobre a prevenção, 58% têm a percepção de que para evitar níveis alterados de colesterol basta ter uma alimentação saudável. Já os exercícios físicos são a principal forma de prevenir a doença para 28% dos entrevistados. 13% responderam evitar frituras e gorduras. Para 1% não fumar, não beber e não usar drogas evitam o colesterol desregulado.

De acordo com o cardiologista Marcelo Sampaio, toda essa confusão de informações sobre o tema só ressalta a importância da avaliação médica preventiva periódica, mesmo que a pessoa não tenha qualquer sintoma ou histórico familiar.

Brasil colesterol saúde

Veja também SAúDE GERAL

Prefeito Silvio Ramalho lamenta morte do ex-prefeito de Caravelas Geraldo Ramos

Prefeito Silvio Ramalho lamenta morte do ex-prefeito de Caravelas Geraldo Ramos

Jovem de Posto da Mata que sofreu acidente na BR 418 morre no hospital de Teixeira de Freitas

Jovem de Posto da Mata que sofreu acidente na BR 418 morre no hospital de Teixeira de Freitas

Final do Campeonato Municipal de Futebol de Teixeira de Freitas acontece neste sábado, dia 21

Final do Campeonato Municipal de Futebol de Teixeira de Freitas acontece neste sábado, dia 21

Índios protestam contra falta de água em aldeia e ocupam prédio da Sesai no sul da Bahia

Índios protestam contra falta de água em aldeia e ocupam prédio da Sesai no sul da Bahia

Últimas publicações